Roda de Leitura Neuromancer




Neuromancer, do escritor norteamericano William Gibson foi o romance distópico escolhido para fechar as Rodas de Leitura no Espaço 308. Ao contrário de A cidade da neblina, é um clássico da década de 80, testado e aprovado pelo tempo.
Questões levantadas:

  • Neuromancer influenciou decisivamente na existência de filmes como a Trilogia Matrix e vários dos participantes comentaram que na leitura do romance, o fato de terem assistido a referida trilogia os ajudou a entendê-lo melhor. 
  • Um comentário relevante é que o autor referiu-se a uma tecnologia que na época não existia - o ciberespaço - de modo que não pôde descrevê-la com detalhes. Outro exemplo clássico na Literatura foi Frankenstein: Mary Shelley descreveu um fenômeno (a revivificação de uma criatura composta de partes de cadáveres) mas não tinha como descrevê-lo, então, apenas citou-o rapidamente e deixou para o cinema e escritores mais recentes a tarefa de imaginá-lo explicá-lo.
  • Os protagonistas, apesar de viver aventuras fantásticas, remetem ao passado e as condições sociais do autor
  • Percebe-se fetiches recorrentes à década de 80: tecnologia, Japão, implantes cibernéticos. Alguns leitores citaram Blade Runner como um filme que compartilha da estética de Neuromancer.
  • Algo que Neuromancer compartilha com Cidade da Neblina que incomodou a blogueira que vos escreve é a necessidade de se retratar as personagens femininas aliadas aos protagonistas como mulheres sensuais. É só assim que as mulheres são apreciadas na cultura popular?


Comentários