Year of wonders, ou Um ano de milagres, de Geraldine Brooks

Trabalhei por 10 anos numa das melhores livrarias de São Paulo.  Foi uma oportunidade única e preciosa. 


Apesar disso, por ironia do destino, vários livros que queria muito ter não vieram daquele tempo, e sim, a partir do momento em que comecei a trabalhar nas bibliotecas públicas de Guarulhos: títulos como A-Ha, de Jordan Ayan (que achei na Sebolândia), Colcha de retalhos de Whitney Otto, Novos contos da montanha de Miguel Torga e Wesley de Stacey O'Brien que achei no Espaço Troca-Livros, O Cristo de lama e a Festa de Babette, que achei na Caverna do Disco de Vinil.

Veja bem, comecei um namoro com Year of wonders ainda na  livraria maravilhosa em que eu trabalhava (achei o registro na Internet) e fiquei pensando nele por anos. Claro que vários livros passaram na frente, sempre havia prioridades e o romance foi ficando para trás. A medida que os anos passaram, percebi que obras mais recentes da autora eram traduzidas (Memórias do livro, Sr. March), mas nem sinal de Year of wonders. Mas, nesse ano, lembrei-me dele novamente, ao vê-lo num boletim eletrônico enviado por uma rede de bibliotecas canadense. Anotei os dados bibliográficos na minha lista de desejos no final da minha agenda e pensei: em inglês ou não, deste ano não passa!

E não passou. Hoje, ao passar pela banca de jornal na Praça Getúlio Vargas, percebi que as gôndolas que ficam na sua frente estavam bem cheias de livros e resolvi averiguar. Livro vai, livro vem, eis que vejo... Um ano de milagres!! Da Geraldine Brooks!! Milagre!! Milagre!! Mais que rapidamente eu comprei o livro. É claro. Investiguei na página de créditos e vi que o romance fora traduzido em 2010. E pensei, como foi que não percebi a chegada dele naquele ano? É bem verdade que 2010 foi bastante tumultuado para mim, com crise dos 40 anos e tudo o mais. Melhor assim. Leio Um ano de milagres com mais tranquilidade.


A imagem da capa foi extraída do website do grupo Ediouro

Comentários