Paraty, muito mais que um cartão postal...

Uma das coisas que mais gosto quando se trata de viagens é a baixa estação. É possível ver a cidade com muito mais calma, sem atropelos, filas, etc.
A seguir algumas coisas que chamaram a minha atenção:

Casa de Cultura de Paraty
Imagine que cheguei na semana seguinte de um evento ecofashion, de modo que ainda havia a exposição. Coisas lindas com tecido




Como Paraty é chic: há uma livraria dentro da Casa de Cultura!!

 Além disso havia uma exposição linda a respeito de Carlos Drummond de Andrade.


Além dos eventos de época (festividades religiosas, culturais, profissionais, etc.) há o prodígio permanente da Gastronomia: come-se muito bem em Paraty.

Peixe com banana da terra e pirão


Vilarejo de Trindade: abaixo a piscina natural de Cachadaço.





Pausa para o almoço num belo restaurante na Praia do Meio: mais belo ainda foi o peixe com molho de maracujá. Peguei com a cozinheira a receita do molho:

1 garrafa de leite de coco
2 maracujás grandes com bastante polpa
Pitadas de Sal e açúcar 

Junte numa panela o leite de coco e a polpa dos maracujás e ferva-os até dar uma engrossadinha, junte uma pitada de açúcar e por último, a pitada de sal.
Acrescente por cima de uma metade de peixe cozido ou assado.
Uma maravilha!!

Praia do Meio


Turismo rural. Trilhas, cachoeiras e alambiques





Foi nesta linda loja que eu experimentei o bolo Manuê de bacia (versão pão de mel). Foi assim: conversei com nosso guia Flávio e perguntei-lhe a respeito deste bolo porque não o achei nos carrinhos que vendem doces nas ruas do centro histórico de Paraty. Disse-lhe que tinha visto a receita no livro do Olivier Anquier e estava bem curiosa pois era um bolo específico da cidade. O Flávio explicou-me que eu não acharia esse bolo nesses carrinhos porque o manuê de bacia era um bolo de aspecto bem simples e não atraia os olhares dos turistas. Então, ele me mostrou o pão de mel com massa de bolo manuê. Foi o único que consegui degustar na cidade, uma vez que o único outro espaço que ele me indicou não tinha o bolo pronto.
A seguir, a receita do bolo manuê de bacia, diretamente do website do Olivier Anquier:

Manuê de Bacia (Bolo de Melado)
Ingredientes:

• 3 ovos
• 2 colheres (sopa) de manteiga
• 1 kg de farinha de trigo
• 1 litro de melado
• 3 colheres (sopa) de farinha de mandioca
• 1 colher (sopa) de fermento em pó
Prepare assim:

• Em uma vasilha, misture a manteiga e os ovos - deixe alguns pedacinhos da manteiga porque isso deixa o bolo mais úmido;
• Acrescente o melado, a farinha de trigo, a farinha de mandioca e o fermento e continue mexendo;
• Mexa bem até formar uma massa homogênea;
• Unte a forma, coloque a massa e leve ao forno pré-aquecido por aproximadamente 45 minutos
http://www.olivieranquier.com.br/receitas/receita.php?id=448 - Acesso em 29 de setembro de 2012




Começo da trilha do Ouro.

Há alguns anos visitei Ouro Preto, onde fica o Instituto Estrada Real.
Fiquei fascinada. O nosso guia Flávio disse-me que a Rota do Ouro atualmente é usada em eventos esportivos tipo Iron Man, pois os atletas precisam estar muitíssimo bem condicionados para andar por mais de 1000 quilometros. Que loucura.
Se alguém quiser conhecer mais a respeito da Estrada Real um dos websites é:
 http://www.institutoestradareal.com.br/ - acesso em 29 de setembro de 2012


Outra cachoeira, para ter um acesso melhor ao lago próximo, era preciso percorrer esta pontezinha pêncil. Claro que eu não passei por ela!!


Mas, em compensação, vi esses cogumelos num tronco caído, que achei lindos.


Última parada do Turismo rural foi uma visita a um viveiro de bromélias. Lindo...



Houve outras atrações é claro, mas a bateria da máquina fotográfica acabou aqui.
Mas dá para ver que Paraty é bem mais que o cartão postal, certo?

Comentários

  1. Respostas
    1. Oi Yvana, agradeço a sua visita e o seu comentário, Paraty não é mesmo uma joia? Mas só na baixa estação: como qualquer cidade litorânea, Paraty lota no verão.

      Excluir

Postar um comentário